O olhar de quem nos vê.



"Queria revelar-te aquilo que és aos meus olhos. Mas não consigo.
Conheço-te há tanto tempo e não consigo.

Irrita-me que vivas com um sorriso no rosto sem nunca revelares porque sorris.
Não sei se sorris por alegria, se sorris porque queres ser simpática - digo-te, à primeira impressão és uma pessoa que desfila antipática. - ou se sorris para esconder aquilo que sentes.
És fria, desapegada, demasiado senhora de si. Não fazes fretes, não finges gostar, não és educada com os outros só porque sim.

Carregas as dores de quem não conheces às costas. Vejo-o só de te olhar.
Quero, aos poucos, explicar-te que o mundo não é a tua vida.
Um dia vais perceber que as pessoas morrem à fome e de facto ninguém quer saber.
Que outras encontram a melhor cama na rua e de facto ninguém quer saber.
As religiões estão demasiado impregnadas para mudar mentalidades e de facto ninguém quer saber.




Lamento relembrar-te mas tu sozinha não vai mudar mentalidades. É hora de parares de sofrer com isso.

Tens a mania que és engraçada, porra, és mesmo. Sempre com a melhor resposta, sempre com a melhor solução, sempre capaz de desenhar um sorriso no rosto de quem chora.
Admiro profundamente a fome de cultura que habita em ti. A generosidade sem fim, o gosto musical, a mão para a cozinha, a atenção a cada coisa que te rodeia e acima de tudo a forma transparente de dizeres o que pensas, de dizeres aquilo que os outros precisam de ouvir, sem nunca ofenderes ninguém.

Está em ti enraizada a ideia que a amizade deveria ser eterna. Que nós devemos abraçar o mundo de alguém como se fosse nosso e permanecer nele eternamente caso contrário nem nos deveríamos atrever a chamar ao outro de amigo. Lamento, mas somos humanos.

És um mistério de mulher e apesar de tantas palavras, continuo a achar que não conheço nem um terço de ti."

S.

Desafio-vos a colocar um sorriso no rosto de um desconhecido

Esta será, certamente, a publicação menos interessante para maior parte dos leitores, mas vos garanto que será a minha melhor publicação até hoje.

Nós não somos todos iguais. A diferença existe. Vamos parar de ensinar as crianças que somos todos iguais, ao contrário disso, ensinem-lhes como se luta pela igualdade. O mundo é muito mais do que aquilo que nós vemos.

E com isto quero lançar-vos um desafio. Sabem aquele dinheirinho que juntamos para as prendas de Natal? Pensem numa pessoa a quem vão dar essa prenda e proponham o seguinte:


 - E se este a tua prenda abraçasse uma criança que sonha com uma vida digna? 



Consegues convencer alguém a abdicar - ou seres tu próprio a abdicar - de uma prenda de Natal para melhorar um pouco a vida de alguém que sobrevive noutro Continente?

Existem várias Organizações não Governamentais a trabalhar, em múltiplos países do hemisfério Norte e Sul do mundo. Com uma pequena pesquisa conseguem comprovar aquilo que vos digo.

Por experiência própria, posso falar-vos da Helpo, (www.helpo.pt).
A Helpo é uma Organização laica e apolítica que leva a cabo programas de apoio continuados, projectos de assistência, ajuda humanitária, desenvolvimento comunitário e humano. Estou associada a esta através plano de apadrinhamento de uma criança em Moçambique. Mas quero fazer mais por aquelas pessoas e, acima de tudo, quero mostrar-vos como não é assim tão difícil ajudar.

Até ao dia um de Dezembro esta associação está a receber bens para enviar para Moçambique - atenção, a Helpo é apenas um exemplo.

As principais necessidades no terreno são:
1-. Material escolar de base: cadernos, esferográficas, lápis de carvão, borracha, afia, mochila, lápis e canetas de colorir;
2- Livros, sobretudo livros de leitura para crianças, jovens e adultos, sempre em Português. Dicionários e enciclopédias também são muito bem vindos e importantes;
3 – Chinelos de enviar no dedo ou tipo crocks (preferencialmente tamanhos entre o 25 e o 45).
4 – Escovas e pastas dos dentes e sabonetes de glicerina;
5 – Mantas do tipo polar;
6 – leite em pó (etapas 1 e 2)
7 – Capas para a chuva.
8 – Roupa de criança.

Qualquer ajuda é fundamental.
Podem informar-se junto das diferentes Organizações, descubram aquilo que se passa fora da bolha.

Desafio-vos a desafiar outras pessoas. Desafio-vos a olhar para o mundo de outra forma, desafio-vos a colocar um sorriso no rosto de um desconhecido. Desafio-vos a criarem o Natal várias vezes por ano.